5ª Semana Orestes Rocha acontece a partir de segunda com exposição e programas de rádio

Cultura
    15 de março

A Secretaria de Cultura de Porto Ferreira realiza a partir de segunda-feira (18/03) a 5ª Semana Cultural Orestes Rocha. Este ano, o evento vem com um novo formato e será dividido em duas partes.

A primeira é a exposição sobre o radialista e pesquisador Orestes Rocha, que acontece no Museu Histórico e Pedagógico Professor Flávio da Silva Oliveira.

A outra parte será composta por programas de rádio em que convidados vão falar sobre Orestes Rocha. Os programas vão ao ar pela Comunidade FM (105,9), de segunda a quinta-feira (18 a 21/03), do meio-dia às 13h.

Será um tema por dia, assim divididos: “Seu Orestes Radialista”, “Seu Orestes e sua família”, “Seu Orestes e o Clube do Chorão”, e “Seu Orestes, Historiador”.

Orestes Rocha

A Semana Cultural Orestes Rocha presta homenagem ao pesquisador, radialista e apresentador que muitos trabalhos desenvolveu em prol da cultura ferreirense. O evento foi criado por lei em 2007, mas não chegou a ser realizado todos os anos, sendo retomado em 2015.

Muito antes de ser criado o termo “multimídia”, Orestes Rocha já circulava por diversas vertentes da comunicação e da cultura. Ainda muito jovem, se aventurava pela poesia e pelo teatro. Depois, trabalhou como locutor do antigo serviço de alto-falantes da praça Cornélio Procópio. Naturalmente, seria o primeiro radialista da cidade quando da fundação da Rádio Primavera, em 1962. O primeiro e também a voz mais bonita que já passou pelo rádio ferreirense, segundo muitos ouvintes.

O vozeirão também era a arma do mestre de cerimônias e apresentador de eventos Orestes Rocha. Ao microfone, narrou e apresentou praticamente tudo o que de importante aconteceu em Porto Ferreira. Mas não só aqui. Chegou a receber 15 troféus nos 15 anos em que apresentou os concursos e desfiles de Bandas e Fanfarras, do Festival Zequinha de Abreu, na cidade de Santa Rita do Passa Quatro, considerado o maior evento musical do país.

O Orestes Rocha agitador cultural foi responsável por diversas iniciativas. Realizou o primeiro Carnaval do Clube de Campo das Figueiras, em 1976. Organizou duas grandes exposições fotográficas na cidade. Participou de diversos festivais de música. Levantou a retrospectiva histórica do Porto Ferreira Futebol Clube. Montou o riquíssimo museu da Cerâmica Porto Ferreira. Fundou o Clube do Chorão, que por muitos anos reuniu mensalmente antigos ferreirenses e apreciadores da boa música.

Sua habilidade com as letras também era notável. Venceu o concurso regional de poesia, e outro de pequenos contos sertanejos, da Secretaria de Estado de Cultura.

Era um pesquisador compulsivo da história ferreirense. Por muitos anos, escreveu no extinto jornal A Semana uma coluna baseada em suas pesquisas históricas. Muitos desses textos serviram de base para a Revista do Centenário de Porto Ferreira, que Orestes editou em 1996. Atuava também como uma espécie de consultor da história ferreirense.

Em setembro de 2006, Orestes Rocha emprestou seu nome a um Museu da Imagem e do Som, denominado Instituto Cultural Orestes Rocha, entidade fundada pelo hoje vereador licenciado e superintendente da Agência Reguladora de Porto Ferreira, Miguel Bragioni.

Veio a falecer pouco tempo depois, deixando muita saudade em amigos e familiares. Em 2007, uma lei municipal foi criada instituindo a Semana Cultural Orestes Rocha.


Cléber Fabbri – MTb 30.118

Assessoria de Comunicação, Cerimonial e Eventos

clique na foto para ampliar